Por Cadu Braga

Arte (Latim Ars, significando técnica e/ou habilidade) geralmente é entendida como a atividade humana ligada a manifestações de ordem estética, feita por artistas a partir de percepção, emoções e ideias, com o objetivo de estimular essas instâncias de consciência em um ou mais espectadores.

 Não é preciso ir muito longe para reparar que nos dias de hoje, a arte se manifesta em fases, são ondas que arrebatam multidões condicionadas por um conceito comum de “legal” (“cult”, “desconhecido”, “roots” ,entre outros…). Essas ondas são por sua vez regidas, seja pelo mercado da cultura, seja por um estilo de vida que as pessoas desejam se adequar, trocando em miúdos não se dá de forma natural.

         O que ocorre hoje em dia, é que conteúdos artísticos são aplicados nas massas, para que essas então se subdividam automaticamente de acordo com as mais diversas características em comum. Porém essas “aplicações” de arte, se dão pela vontade de terceiros, assim com os interesses de terceiros, o que abre a possibilidade da arte se tornar algo descartável, algo passageiro, algo morto.

         Dito isso, o que se dá por arte? E o que é dado em troca por esta? 

         Vivemos sob um sistema capitalista, que nos coloca em total dependência do dinheiro, logo artista é de fato uma profissão. Porém há muito mais além de apenas um reconhecimento monetário considerado justo para com aquele que proporciona emoções por meio de sua arte.

         Artista é uma profissão, repito, mas a arte não pode ser prejudicada por um sistema que busca o lucro exacerbado acima de tudo e todos. Os artistas devem ser reconhecidos e recompensados, porém aqueles que colocam sua arte (por mais refinada que essa seja) aos caprichos do mercado se posicionam como cafetões dessa dama chamada Arte. Os artistas não se alimentam de sua arte, é a sua arte que por sua vez lhes proporcionam alimento. 

         Por isso sejamos arteiros, brinquemos com a arte! Para que essa seja nossa amiga e não nossa prostituta. Para que a arte nos proporcione uma vida melhor, alcançada com reconhecimento e não com acordos que ditam o valor de nossa arte!

         Arteiros para mostrar ao mundo todo de que não é aquele que tem mais, que é mais feliz, e sim aquele que é mais feliz, é de fato aquele que tem mais.

Anúncios

Uma lombra…

23-08-2009

(por Leo Carvalheira)

 

Mermão, deixa eu arriar minha lombra em paz,

doido, pare de arriar minha lombra, rapaz.

Tu só nos tráz medo

Eu só quero viver

A lei só quer dinheiro

 

Gente enxerida

Cuida da vida dos outros

 

Saiba que toda polícia é facista

Toda polícia é facista

 

“Não importa os motivos da guerra”

Disse o sábio,

“A paz ainda é mais importante”

“Não existe caminho para a paz, a paz é o caminho”

“E se houvesse guerra e ninguém fosse?”

São frases célebres, feitas pra

Você aí fardado, robozinho do Estado

Você aí fardado, bonequinho do Estado

Você aí calado, também é explorado.

 

Não fale da minha santa

Maria Joana, que a polícia não propaga a paz

Como faz essa Santa planta

Maria Joana

Maria Joana

 

É por isso que eu pratico a arte livre

É por isso que eu me ponho a ler um livro

só de grana, só de grana não se vive

amor na grama, pés na lama, sigo vivo

 

Pois é, perdeu a razão

Jogue a arma no chão

A liberdade não é assim

E o maior ladrão

É o seu patrão,

O Estado.

Saia dessa, vá por mim,

mô véi.